Quando o mestre é um monstro
13 de dezembro de 2018
Em 2019, mais fé e menos religião
28 de dezembro de 2018

Carta para o aniversariante

É, Jesus… mais um aniversário seu está chegando. Já fazem aproximadamente 1.985 anos que você deixou a Terra, mas vou te contar: quase nada mudou!

A soberba dos homens continua a mesma – talvez até pior. Lembra quando você disse que quem quisesse ser importante deveria ser servo (Mc 10:43)? Ninguém quer saber disso, ser servo por aqui é uma vergonha. Bom mesmo é ser servido, bajulado e não ter que se dar o trabalho de fazer nada por ninguém.

Lembra quando falou que não podemos servir a Deus e ao dinheiro (Mt 6:24)? O que mais vemos hoje é gente tentando equilibrar esses dois senhores numa balança – um pouquinho pra um, um pouquinho pra outro… isso quando não juntam os dois num só e passam a adorar o deus-dinheiro.

E quando você alertou que a carga de cada dia já é suficiente, que ninguém tem que se preocupar com dia de amanhã porque Deus é quem cuida disso (Mt 6:34)? Acho que ninguém entendeu, a gente vive numa loucura desenfreada pra garantir o pão de hoje, de amanhã, do ano que vem e até dos nossos netos! Tá tendo um surto de ansiedade por aqui, as pessoas estão vivendo pra trabalhar, esquecendo do que é importante e deprimindo, deprimindo muito.

Lembro quando você perguntou “Que vantagem há em alguém ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma?” (Mc 8:36). Hoje eu acho que as pessoas ririam dessa sua pergunta, pois a maioria delas só vê vantagens em ganhar o mundo inteiro e para isso até vendem a sua alma! É isso mesmo: vendem a própria alma! E muitas vezes por um valor tão pequeno que você nem iria acreditar!

Você disse pra gente ter cuidado com os falsos profetas que surgiriam e enganariam muitos (Mt 24:11) e também nos deu algumas dicas de como reconhecê-los: vaidade, dissimulação, falta de escrúpulos… (Mc 12:38-40). Acho que as pessoas esqueceram dessa parte também, pois toda hora aparece um espertinho dizendo que veio em seu nome, que cura, que profetiza etc. e elas acreditam. Muitas vezes os sinais são bem claros, você falou sobre isso, mas as pessoas simplesmente não enxergam… e eles fazem um estrago danado! Tem uns que vêm mentindo há tanto tempo que já enganaram gerações.

Lembro que você falou que é impossível que sejamos salvos por nós mesmos, de tão pecadores que somos, mas que para Deus nada é impossível (Mt 19:23-26). Só que aí vieram aqueles falsos mestres e ensinaram que a gente pode se salvar, sim: basta dar o dízimo, fazer rituais, obedecer o pastor… a lista varia muito, sabe? É de acordo com a intenção de cada “profeta”. Aí as pessoas ficam confusas, algumas se martirizam, outras chutam o balde… tem gente até que se revolta com Deus. Logo com Deus, meu Deus?

Ah, não posso me esquecer: lembra quando você falou que ninguém podia ser seu discípulo se não tomasse sua própria cruz e te seguisse (Lc 14:27)? Pois é, mas aí inventaram uma tal de “teologia da prosperidade”, que diz que todo mundo que te segue é vitorioso, não sofre, só tem histórias de bênçãos pra contar, fica rico e tudo! Dizem que um discípulo de Jesus nasceu pra ser cabeça, e não cauda, por isso vivem atrás de sucesso, dinheiro e bênçãos materiais pra provar que eles são, sim, seus discípulos. Esqueceram que você falou que teríamos aflições (Jo 16:33)!

E tem aquele mandamento clássico que você reforçou de amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo (Mc 12:30-31). Como você já deve ter percebido, Deus parece que perdeu seu lugar na vida de muita gente. E o próximo… olha, é um tal de odiar negro, pobre, gay, índio, mulher, estrangeiro… parece que tá na moda agora, né? Aquela história de “faça aos outros o que você quer que façam com você” (Mt7:12) não tá colando não…

Quando eu lembro que você nos consolou dizendo “bem aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão satisfeitos”(Mt 5:6), me dá um aperto no coração! Tem gente que não sabe o que é justiça porque nunca a viu, tem gente que diz que ela só existe pra rico e tem gente que finge que tá fazendo justiça e engana milhares! A verdade é que justiça é algo raro por aqui e defendê-la virou sinônimo de utopia. Coisa de gente besta, sabe?

Pois é, Jesus, eu te falei que as coisas não mudaram muito da sua época pra cá. E agora que tá chegando seu aniversário a gente vê o mesmo filme mais uma vez: pessoas forçando bondade, fazendo caridade, abraçando, fingindo que lembram de você… mas a verdade é que somos todos “desgraçados, miseráveis, pobres, cegos e nus” (Ap 3:17).

Termino essa carta com um apelo que ficou famoso por aqui e ganhou eco nos corações sinceros: “meu amigo, volte logo! Venha ensinar seu povo. O amor é importante, vem dizer tudo de novo!”

Feliz aniversário!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *