A hostilidade do ambiente de trabalho
1 de novembro de 2016

A mulher sábia de Provérbios e a manipulação de um discurso

Não é nada sensato colocar sobre a mulher toda a responsabilidade de um casamento e de um lar. Não estou falando do texto de Provérbios 14:1, não. Estou falando da distorção que muitas igrejas fazem na interpretação dessa passagem.

É afirmando que a mulher sábia edifica a sua casa que fica implícito no discurso de muitos líderes que a mulher deve cuidar de todo o serviço doméstico sozinha; é afirmando que a mulher sábia edifica a sua casa que muitos pastores, em seus aconselhamentos de casais, dizem que a mulher tem que suportar as traições, as grosserias, as bebedices e demais abusos cometidos por seus maridos; é afirmando que a mulher sábia edifica a sua casa que se ensina em várias igrejas que a mulher deve ser passiva em relação às vontades do marido, aceitando toda e qualquer decisão que ele tome, independente das consequências que venha a trazer; é afirmando que a mulher sábia edifica a sua casa que ensinam que as mulheres devem se anular em seus casamentos, devendo apenas trabalhar (e muito) para manter a casa em ordem, os filhos e o marido bem vestidos e bem alimentados e a “paz” na família. Esquecem que por mais sábia que a mulher seja, é impossível que ela possa garantir sozinha a harmonia de um lar quando seu marido não tem sabedoria nenhuma; quando ele a maltrata e a desconsidera; quando ele não assume a responsabilidade que tem na educação e no sustento dos filhos; quando costuma ter casos extraconjugais; enfim, quando não obedece os ensinamentos de Cristo, não dá bom exemplo e não ama a sua esposa.

É triste perceber como a mulher sábia de Provérbios é tão citada quando se trata de enfatizar as obrigações que toda uma sociedade machista acha que devemos ter com nossos maridos e filhos. Ou ainda quando estamos enfrentando alguma dificuldade em nosso casamento e alguém tenta nos dizer, de forma mais amena, que nossa obrigação é suportar tudo mesmo e ainda preparar o jantar. A mulher sábia de Provérbios quase não aparece no discurso alheio para nos elogiar quando tudo vai bem (isso acontece, mas é raro). Afinal de contas, se o casamento e a família vão bem, é graças ao “cabeça do lar”, ao “varão valoroso”.

Na verdade o que existe em torno da passagem de Provérbios 14:1 é a manipulação do discurso, tornando-o conveniente para os homens. É claro que nem todas as igrejas fazem isso, mas é algo bem comum em muitas, pois vivemos numa sociedade machista e seus valores acabam entrando em nosso meio.

Provérbios é um livro universal, que fala a todas as pessoas em qualquer época da história. Ali estão regras básicas de convivência em sociedade e conselhos que nos ensinam como viver de acordo com a vontade de Deus, respeitando o próximo e honrando o Criador. Dentre esses conselhos, estão os de não ser preguiçoso (6:6-11), mentiroso (12:22), desonesto (16:8), beberrão (20:1) e vingativo (20:22); ter humildade (18:12; 22:4), controlar a língua (10:19), ajudar os pobres (19:17), não priorizar as riquezas e bens materiais (23:4-5), além de muitos outros. Todo cristão deve tentar seguir o que Provérbios ensina, quer seja mulher, quer seja homem. Então, voltando à passagem de Pv 14:1, podemos fazer uma pequena reflexão: quantos homens você conhece que não foram nada sábios e destruíram sua família e seu lar com as próprias mãos, tal como está descrito nesse versículo? Será que ele é realmente direcionado única e exclusivamente às mulheres?

O livro de Provérbios é belíssimo e de muita sabedoria, daqueles que dão prazer em ler e que nos levam a profundas reflexões. É triste ver como ele é manipulado para favorecer um discurso dominante e opressor, cujo objetivo contraria os seus ensinamentos e os ensinamentos do próprio Jesus. A nossa maior arma contra esse tipo de manipulação é o conhecimento da Palavra. Quanto mais lermos e estudarmos a Bíblia, menos seremos ludibriados por pessoas mal intencionadas que só querem tirar vantagem com ela.

Não podemos permitir que os valores seculares distorcidos entrem em nosso meio e se tornem uma regra. A mulher sábia de Provérbios não é uma ilustração feita para nos oprimir, mas sim para nos dar um bom exemplo de como ser uma mulher segundo a vontade de Deus. No entanto, ela tem sido usada pelos homens para nos impor um padrão de comportamento que nos oprime e desrespeita. Definitivamente, não é esse o objetivo.

Para finalizar, Provérbios nos apresenta não só um modelo de mulher sábia, mas também um modelo de homem sábio. É nosso desafio como cristãos tentar seguí-lo, não por imposição do outro, mas sim numa tentativa de sermos pessoas melhores, mais parecidas com Cristo. E isso não tem nada a ver com gênero, vale para homens e para mulheres.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *